quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

CRISTO OU BARRABÁS?

(Marcos 15:7)

Barrabás (do aramaico: Bar Abbas, "filho do pai") nasceu na cidade de Jopa, ao sul da Judeia. Tinha a profissão de remador de botes e foi contemporâneo de Jesus Cristo.(viveu no mesmo tempo em que Jesus viveu)
É um personagem citado no Novo Testamento, no episódio do julgamento de Jesus por Pôncio Pilatos.

Era integrante de um partido judeu que lutava contra a dominação romana denominado zelote.
Seu grupo agia através de ataques às legiões como meio de derrubar, abater as forças invasoras dominantes.

Foi preso após um ataque a um grupo de soldados romanos na cidade de Cafarnaum, onde possivelmente um soldado foi morto.
Segundo o texto bíblico, quando Jesus foi acusado pelos sacerdotes judeus perante Pôncio Pilatos, o governador da Judeia, depois de interrogá-lo, não encontrou motivos para sua condenação.

Mas como a população, presente ao julgamento, gritava contra o prisioneiro exigindo sua crucificação.
Foi então que, Pilatos mandou flagelá-lo, açoita-lo e depois exibi-lo, ensanguentado, acreditando que a multidão se comoveria (um episódio conhecido como Ecce homo). Mas tal não aconteceu.

Pressionado, o governador tentou um último recurso: mandou trazer um condenado à morte, tido como ladrão e assassino, chamado Barrabás, e, valendo-se de uma (suposta) tradição judaica, concedeu ao povo o direito de escolher qual dos dois acusados deveria ser solto e o outro crucificado. Então, o povo manifestou-se pela libertação de Barrabás.

O povo naquele momento, escolhe por Barrabás...
Ai eu te pergunto...Que pecado Jesus havia cometido para que a população preferisse a sua condenação e a libertação de Barrabás???
Pilatos então lava as suas mãos e entrega Jesus para a cruscificação.

Muitas vezes nós nos deparamos com situações parecidas com a que Jesus enfrentou, ou nós nos deparamos com situações em que sabemos qual é a melhor decisão a ser tomada, mas preferimos andar junto com a multidão.
Preferimos agir como Pilatos agiu...lavamos nossas mãos.
Como se isso fosse adiantar alguma coisa, quando negamos a Cristo como Pilatos negou, estamos assinando nossa sentença de morte.

Quando deixamos Barrabás nascer dentro de nós, estamos crucificando a Jesus, e dizendo...prefiro continuar no comodismo...está terminando mais um ano, eu sobrevivi, então eu não estou tão mal assim.
Quando nós escolhemos por Barrabás, estamos abrindo mão da salvação.
Estamos abrindo mão daquilo que é concreto (salvação) para ficar com o duvidoso.
Ai você mês diz...mas eu não nego a Cristo, jamais eu escolheria Barrabás...as vezes Barrabás entra na nossa vida sem que nós percebamos.
    1.    Pecado da mentira – nos acostumamos tanto a mentir, que passamos a achar que é verdade, nos acostumamos a acreditar que Barrabás é melhor do Jesus, e preferimos continuar do jeito que está.

2.    Mornidão espiritual – (Apocaliplse 3.15-16) Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
o Barrabás da mornidão espiritual fala mais alto nas nossas vidas...a bíblia condena aqueles que são mornos, a bíblia condena todos aqueles que levam as suas vidas espirituais da seguinte maneira...do jeito que tá, tá bom.

Exemplos de mornidão(Pode vir para a igreja mas não vem, a igreja está sempre em segundo plano, a célula é opcional, Escola Dominical é opcional)

     3.    Negócios ilícitos – Passando as pessoas para trás para ganhar a qualquer custo. 2º Coríntios  11.3  “Mas receio que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também seja corrompida a vossa mente e se aparte da simplicidade e pureza devidas a Cristo.” O inimigo é astuto, e essa astúcia da serpente corrompe a mente. Uma vez a mente alterada, os bons costumes deterioram-se também. Assim começam os problemas na vida de muita gente.
Barrabás era uma pessoa que fez muitas coisas erradas, e por isso estava preso, Barrabás era um assassino, Barrabás era uma pessoa da pior espécie.
Quando deixamos de seguir a Cristo, estamos nos comparando a Barrabás, quando caímos na mornidão espiritual, estamos matando alguém, alguém está deixando de ouvir uma palavra, de amor, uma palavra encorajadora, alguém está deixando de ouvir...Jesus te ama.

Alguém está morrendo sem Cristo porque estamos dando mais crédito a Barrabás do que a Cristo, e seremos culpados pela morte dessas pessoas, seremos culpados pela crucificação de Cristo na vida dessas pessoas.
Se nós continuarmos a lavar as nossas mãos como Pilatos fez, e deixarmos que Barrabás continue solto, podemos pagar muito caro.
Porque se Barrabás continuar solto, ele pode voltar a matar.

O que você escolhe???
Cristo ou Barrabás.
Viver com Cristo significa viver uma vida abundante, uma vida de bênçãos, de lutas, mas com vitórias.
Viver com Barrabás significa uma vida de derrota, escravidão, vida amargurada.
Viver como Barrabás você vai ser só um remador (profissão de Barrabás), mas se você viver com Cristo ao invés de ser remador você vai ser o pescador (quem comanda o barco).
Você quer ser um eterno remador, ou quer ser comandante???



quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

AMNÉSIA

Romanos 1.20-21

O que aconteceria se eu pedisse para você parar de conversar com Deus por algum tempo, e ao invés disso, desse uma olhada cuidadosa e demorada nele antes de pronunciar a próxima palavra????

Salomão fez esse alerta: não devemos nos precipitar na hora de falar com Deus, apresentando-nos em sua presença apenas com as palavras.
Provérbios 14.29 / 19.2/25.28/

Fazemos parte de uma cultura onde se confia mais na tecnologia que na comunidade, uma sociedade, em que as palavras faladas, escritas são gratuitas, e excessivamente pouco valorizada.
Nossa cultura, a sociedade costuma dizer e ensinar que vale tudo, e quase não se ouve falar a respeito do temor de Deus. Falamos, falamos e falamos muito, e esquecemos de ouvir.

Então quase não ouvimos falar sobre o temor de Deus.
O homem sábio se apresenta a Deus sem dizer uma palavra, e permanece em reverencia diante dele. Contemplar o Deus invisível, parece inútil, mas veja o que diz Romanos 1.20 “que por intermédio da criação, podemos ver os atributos invisíveis de Deus [...] a sua natureza divina...”

Eu gostaria de começar o culto de hoje convidando você a contemplar Deus através do seu silêncio.
Esse silêncio se refere a silêncio vocal, mas converse em espirito com Deus, em espirito e em verdade.

Deus criou mais de 350 bilhões de galáxias (é uma estimativa) que tantas pessoas jamais viram, ou mesmo imaginaram existir.
Agora você acha que Deus criou todas as coisas, as galáxias , os animais, plantas, plantas raríssimas que podem chegar a ter 6 milhões de folhas.
Você acha que Deus é um Deus diversificado pra que??? Você acha mesmo que tinha necessidade de colocar 3 mil espécies diferentes de árvores em um espaço equivalente a uma ilha quadrada da floresta amazônica.

Você acha que havia necessidade de Deus criar tantos tipos de risadas...olha quantos tipos de risadas nós temos apenas aqui na igreja hoje, cada um de nós tem um tipo de risada, cada um de nós tem uma maneira de se expressar.
Você acha que Deus criou todas essas coisas e muitas outras, para que nós olhássemos uns para os outros e disséssemos “Puxa, Deus é mesmo incrivelmente grande”

Ou será que Deus queria que nós víssemos todas essas coisas e reagíssemos da seguinte maneira, dizendo... “Quem eu penso que sou???”
Tem um escritor americano que disse o seguinte... “Os seres humanos nunca se dão conta ou se convencem de sua insignificância enquanto não são confrontados com a majestade de Deus.”

Sejam quais forem as razões de Deus para tanta diversidade, criatividade e sofisticação no universo, o objetivo de tudo isso é a gloria do Senhor, é para que o nome do Senhor seja glorificado.
Vamos ler Salmos 19. 1-4 “Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos. Um dia fala disso a outro dia; uma noite o revela a outra noite. Sem discurso nem palavras, não se ouve a sua voz. Mas a sua voz ressoa por toda a terra, e as suas palavras, até os confins do mundo.”

É por isso que somos chamados a adorar o Senhor. Sua arte, a obra de suas mãos e sua criação, tudo ecoa a mesma verdade.
Não há nenhum outro como ele. Ele é o rei dos reis, é o Inicio e o Fim, aquele que é, que foi e que há de vir.
Agora existe um problema, há uma epidemia de amnésia espiritual rondando por ai, e nenhum de nós está imune dela.
A maioria de nós sabe que fomos criados para amar e temer a Deus; que devemos ler a nossa Bíblia e orar ao Senhor, mas colocar essas coisas em prática é um grande desafio.

Quando amamos o Senhor por achar que temos de amá-lo, em vez de fazê-lo de maneira sincera, do fundo do nosso ser, significa que esquecemos de quem ele é.
Nossa amnésia está se manifestando mais uma vez;

Por isso quero convidar você hoje a adorar a Deus de uma maneira sincera.

"Apenas experimentando e nutrindo um honesto relacionamento com Deus podemos dar a necessária chacoalhada em nossa vida e espantar a terrível mornidão que caracteriza nossa atitude diante do Pai."

O DEUS DA COMPENSAÇÃO

Gênesis 29.30 – 31
Quando Deus quis mudar a historia do mundo ele escolheu uma família, por isso que ele dá tanta importância as famílias. E ele escolheu a família de Abraão.
A família de Abraão hoje é muito grande, olha para essa pessoa que está ao seu lado e diz oi...eu você somos filhos de Abraão pela fé.
Quem tem fé...nós temos que crer no impossível.
A família de Abraão, assim como todas as famílias tinha um defeito...a final de contas nenhuma família é perfeita.
 A família de Abraão tinha um problema chamado de “ AS PREFERÊNCIAS”

Abraão tinha dois filhos, Isaque e Ismael, e descaradamente Abraão tinha mais preferência por Isaque do que por Ismael.
Isaque teve dois filhos, e descaradamente ele preferia Esaú, mas a sua esposa Rebeca preferia Jacó.
Jacó então teve 12 filhos, e de seus 12 filhos ele tinha uma maior preferência por José.

E quando José sumiu, quando ele passou a achar que José havia morrido, Jacó passou a amar mais o seu filho Benjamim.
E quando Jacó foi se casar de novo, porque naquela época se permitia poligamia, Jacó preferia muito mais a Raquel do que Lia.

A historia dessa família é muito interessante, porque foi dessa família que nasceu o SALVADOR, foi dessa família que nasceu a igreja do Senhor.
E nós estamos aqui hoje por causa dessa família...mas eles tinham esse problema familiar.(preferencias)
Deixa eu resumir a historia de Jacó aqui...Jacó fugiu, porque seu irmão Esaú queria mata-lo.

E quando ele chegou num determinado lugar, ele viu Raquel, se apaixonou por Raquel, e foi perguntar ao então pai de Raquel Labão, o que ele precisava fazer para se casar com Raquel.
Labão que não era bobo nem nada, disse pra ele...há, trabalha 7 anos ai e pode se casar.

Jacó trabalhou, e quando chegou no dia do casamento, lá depois da festa, ai eles foram para o quarto nas escuras...quando amanheceu o dia, o sogro de Jacó Labão, havia lhe enganado, e entregou para Jacó Lia, irmã mais velha de Raquel...disse que era costume casar a mais velha primeiro. Ai ele disse...mas a Raquel...Labão disse...trabalha mais 7 anos. E depois de trabalhar 14 anos ao todo, Jacó pode levar as duas...Lia e Raquel.

E Jacó descaradamente preferia mais Raquel do que a Lia.
Para pra pensar...como será que estava o emocional de Lia, porque eles moravam tudo na mesma casa, mas Jacó descaradamente ficava elogiando, e presenteando Raquel e Lia ficava só no vaco.

Agora veja bem...Lia tinha culpa??? Não!!!
Ai o que aconteceu...Deus olho lá do alto e analisou...Raquel tem o amor do homem, Lia não, Raquel dorme no ar, Lia de ventilador, Raquel anda de carro, Lia de bicicleta...isso não está certo.

Ai entrou em ação...o Deus da Compensação.
Deus olhou e disse...Raquel, fique com Jacó, porque eu vou ficar com Lia, fique com Jacó Raquel, porque eu vou dar filhos para Lia.
Deus ficou indignado!!! E então Deus entrou com a compensação...porque Deus é um Deus de compensação!!!
Veja bem...pode até parecer que Deus não está vendo o seu sofrimento e não tá fazendo nada por você...mas quando ele fica em silêncio é porque está trabalhando, Deus não criou você para sofrer.

Guarde isso que eu vou te falar...existe o Deus da compensação, existe o Deus da compensação.
Pode ter certeza, que quando a sua vida parece estar desnivelada, o Deus da compensação entra em ação e age em seu favor, Deus te compensa.

Deuteronômio 21.15 “Deus está proibindo o homem de dar herança ao filho da mulher de quem ele mais gosta”
Números 18.24 “ Deus compensou os levitas com os dízimos”
Provérbios 23.10 “Deus mata quem oprime  os pobres”
Tiago 5.4 “Deus se ira quando um trabalhador é lesado em seu salário”

Existe duas regras para a compensação de Deus acontecer na sua vida.

Você tem que estar sofrendo uma verdadeira injustiça – Esse negocio de ficar se fazendo de coitadinho não cola com Deus...tá difícil essa situação, entra no quarto e vai orar, vai falar com Deus.

Tem que clamar a Deus...ai mas Deus já não está vendo essa injustiça contra a minha vida???
O cego de Jericó era injustiçado porque nunca lhe fora dada a oportunidade de enxergar, mas se ele tivesse ficado de boca fechada, Jesus certamente passaria direto.
Aprenda a abrir a boca e clamar ao Senhor, porque se não ele pode vir e ir e você deixar de ser abençoado.

Entenda...Deus usa quem ele quer e como quer para te abençoar...Características da compensação.

Quase nunca vem de quem você espera...Lia queria que Jacó a recompensasse, mas quem a compensou foi Deus através de uma criança.

Quase nunca é como você pensa que será...Lia esperava que Jacó se declarasse para ela na frente de sua irmã Raquel,  mas o que aconteceu foi uma gravidez.

Quase nunca vem quando você pensa...Do dia em que Lia sofreu a injustiça, para o dia em que Deus interveio, ela teve de esperar pelo menos 9 meses.

Eu não sei a quanto tempo você tem passado por esse sofrimento seu ai, eu não sei a quanto tempo você tem chorado diante do Senhor para ele mudar a sua historia.

Mas eu sei de uma coisa...Deus não se esqueceu de você, e hoje, assim como Lia, ele faz nascer o seu filho, ele faz nascer a sua benção.


O Deus da compensação vai te compensar hoje, porque nada que você faz para o Senhor, nada que você oferece para o Senhor é atoa...Deus vai te recompensar.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

O PERIGO DE ESCOLHER O BOM AO INVÉS DO MELHOR

Salmos 106.15

E baseado neste verso, que nós vamos falar hoje: “O Perigo de Escolher o Bom ao Invés do Melhor”.
Irmãs, irmãos, quantos anos se passaram... e hoje nós estamos vivendo num momento muito especial: a nossa igreja está crescendo, e Deus tem preparado para nós o melhor.

E nós estamos precisando tanto da direção de Deus nisto... tudo que sabemos é que, implicará em sacrifícios!
Estamos transicionando de uma igreja comum para uma igreja crescente, para uma igreja em células.

A vida é assim... uma longa série de escolhas que vão sendo feitas diariamente entre aquilo que é bom e melhor, grande e enorme, supremo e superior!
E como se dá nas escolhas, existe a cilada sutil de se escolher o bom ao invés do melhor.
Repita isto: “Existe o perigo – de escolher o bom – ao invés do melhor”.
Esse é o perigo mais comum aos crentes... é a tentação mais frequente: a de escolher o bom ao invés do melhor.
Mas para não sofrer esse perigo, você tem que ter QI (diga: tem que ter “QI”)... isso: tem "QI" pro seu quarto... "QI" fazer oração... "QI" buscar a Deus!
Lemos o Sl 106.15, que fala: “Deu-lhes o que pediram, mas mandou sobre eles uma doença terrível”.

Esse texto faz referência ao povo de Israel... o propósito de Deus para aquela nação é que não tivessem rei, porquanto, o próprio Senhor seria seu Rei... assim, Israel seria exemplo para o mundo inteiro.
Mas Israel se rebelou... o povo queria ser igual aos outros povos, possuidores de um rei terreno... queriam um monarca com toda a pose e esplendor dos reis das outras nações.

Por isso, Deus disse ao profeta Samuel isto que se lê no Primeiro livro de Samuel 8.5-7: “Quando, porém, disseram: “Dá-nos um rei para que nos lidere”, isso desagradou a Samuel; então ele orou ao SENHOR. E o SENHOR lhe respondeu: “Atenda a tudo o que o povo está lhe pedindo; não foi a você que rejeitaram; foi a mim que rejeitaram como rei”.
Deus estava dizendo: “Muito bem; Samuel, nomeie um rei para eles; não estão escolhendo o melhor, mas vou permitir que tenham o bem inferior escolhido por eles mesmos. Essa é a única maneira de mostrar-lhes a escolha errada que estão fazendo”.

Então, a história de Israel, a partir daí, mostra para nós como realmente existe o perigo de se escolher o bom ao invés do melhor.
O povo escolheu ter o seu rei... mas perderam a sua terra e foram levados o para o cativeiro... até hoje em Israel é desastre após desastre!
Por isso o Sl 106 diz: o Senhor “Deu-lhes o que pediram, mas fez definhar-lhes a alma”.

Deus dá muita importância às escolhas que são feitas em cada momento crucial de nossas vidas e respeita a nossa vontade.
Há vezes em que uma oportunidade nova é colocada diante de nós, e somos tentados a escolher aquela que nos dará vantagem financeira, vantagem pessoal...
Cedemos à tentação de garantir para nós mesmos as vantagens que já temos, o conforto ou as facilidades que já possuímos.
E assim fazendo, tentamos conciliar a nossa vontade com a vontade de Deus, e acabamos por escolher o bom ao invés do melhor.

Quando isto acontece, Deus não nos abandona, mas Ele permite que a escolha inferior corrija nossa vontade própria, e nos conduza de volta ao lugar de obediência.
A escolha do bom ao invés do melhor, pode resultar na perda de uma oportunidade que não voltará mais...
Deus está falando ao seu coração? Será que por estes dias, em sua vida, você está sendo tentado a escolher o que é bom ao invés do melhor, pelo fato do que é bom já ser do seu agrado, do seu domínio, do seu prazer? ...e o que é melhor, ser algo ainda não experimentado, não completamente conhecido?

Que situação! Imagine você tendo um bom emprego, e lhe aparece a chance de ter um excelente emprego... você então precisa fazer uma escolha e aí enfrenta um grande desafio de fé. Você diz: “No emprego que tenho já estou acostumado, tenho o domínio da função, já conheço todo o pessoal...” Mas diante de si está a oportunidade de algo melhor, uma condição melhor! ...mas você terá que aprender o novo trabalho, terá que conhecer e lidar com outras pessoas, terá que enfrentar situações inesperadas...

É nesse dilema que muitos acabam escolhendo o que é bom ao invés do que é melhor. ...se contentam com o que é bom, (pois já se acostumaram a ele), e recusam o que é melhor, por tratar-se de algo novo...
Ouça: O perigoso não é escolher o que é novo; o perigoso é se contentar com aquilo que é bom.
Novamente o Sl 106 diz: o Senhor “Deu-lhes o que pediram, mas fez definhar-lhes a alma”. VOCÊ QUER ISSO?

Oh! irmãos: Esse é o verdadeiro perigo mais comum para os crentes... não é que se desviem da fé em Jesus e tornem a cair em pecado. Não! ...o perigo mais comum para o crente, a tentação mais freqüente aos crentes, é a de escolher o bom de Deus ao invés do melhor de Deus.
Quantos crentes há, satisfeitos com aquilo que é bom, contentes por já terem o bom? ...dizem:
Estamos salvos do inferno, isso é bom!
Somos membros de uma igreja, bom!
A minha igreja trabalha domingo, terça e sexta que bom!
Eu já canto, oro, leio a Bíblia... bom!
Ah! Já participo de uma célula... bom!
Entrego o dízimo... Bom!

Mas, amados, a Bíblia diz que temos asas como de águias; isto fala de subir às alturas, aos lugares cada vez mais altos, aos cumes dos montes e experimentar o melhor de Deus!

Conclusão

Se hoje, você está parado naquilo que é o bom de Deus, recorde-se da revelação de 1Co 2.9: “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam” (1Co 2.9).
As melhores coisas de Deus ainda estão por ser conquistadas e experimentadas.
O melhor de Deus ainda está por vir!

Vamos, pois, buscar a Deus em oração... se submetermos a nossa vontade à vontade dEle, não iremos correr o perigo de escolher o bom ao invés do melhor... porque Ele mesmo nos guiará!


quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

CÉLULA É GOL

“Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento” e  “Ame o seu próximo como a si mesmo.”
Se você perguntar para o Pelé, considerado o maior jogador de todos os tempos, o que é o futebol ele irá dar uma explicação muito simples: futebol é pegar a bola e tentar colocá-la dentro da meta adversária. Simples!
Nós muitas vezes estamos nessa situação. Se tratando de teoria somos especialistas em bíblia, em louvor, em célula. Mas não fazemos o gol! Fazer o gol é colocar em prática aquilo que sabemos na teoria.
Assim como Pelé resume o futebol, Jesus nos resumiu a bíblia em Lucas 10:27. Precisamos começar a amar de fato. Em nossas células é necessário começarmos a mudar o foco. O foco são pessoas e não somente números.
Célula, meu querido, é fazer gol. Fazer gol é amar e amar pessoas.